À todos que me visitarem...

Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se
encontram todos os segredos, inclusive o da felicidade. ”
-- Charles Chaplin --


É aqui que guardo e trago o amor, as dores, as cores e o sabores das palavras, sons e gostos para partilhar com vocês que sempre me visitam.

Sejam bem vindos sempre

domingo, 14 de novembro de 2010

" Foi Assim... "




Foi assim...
Em uma manhã de outono
Do nada à sua doce imagem a minha frente surgiu....
O aroma de tua pele passando à meu lado
Me fez ficar embriagada
Foi inevitável...
Tudo vindo de ti fez meu ser revirar
No mesmo instante te amei...
Assim posso dizer, te amo...
Assim será...
Teu corpo ao meu se colou
Me deixei levar por ti
em seus braços , feito criança me senti
Cada vão de meu corpo
Só em tua direção quer estar
E assim fui me deixando ficar
Seu olhar penetrava em minha alma
E o calor do corpo molhava sem parar
O passeio sem pressa de tuas mãos em mim 
Fazia minhas entranhas gelarem
E de prazer ceder inteiramente a ti
E você foi pouco a pouco me possuindo...
Como evitar o que o amor nos faz chegar pelo destino?
Nada deve ser feito
Em nada contestar
É só se entregar...
Tua boca dominando a minha
Teu corpo sobre o meu clamando quietude...
Pois inteira queria sentir-me
Apenas amar
Era isso
É isso que ambos precisávamos
E plenamente nos entregarmos
Senti seu corpo suar...
Senti meu corpo molhar
Corações querendo saltar
E no ar se entregar em um forte abraço
Eu te tendo em mim
Meu âmago todo entregue a você
E assim te amei...
Assim te amo...
Basta um olhar...
Sua pele a minha tocar...
E para sempre meu amor
A ti se dará



                  CULULU  -  Lúcia Helena  -  2010/11/13            

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

" Xiuuu... meu anjo. "



Xiu anjo meu....
Silencia em teu sono
Que eu, teu anjo a seu lado
Velo e guardo em silêncio
O que a ti é sagrado
Sussurro sereno em seu ninar
Uma canção pequenina
Que diz em seu palavrear
Que te guarda tranquilo
Porque é por amor
E te pega no colo
E embala seu ser
Afaga teu corpo
Pra te aquecer
Aquieta assim...
Sem pressa que a noite chegou
E com ela a teu lado estou

Xiu anjo meu...
Que no silêncio assim 
Mais fácil me vês
Preste atenção
Sou eu que a teu lado estou
Minha mão na sua se perde
Que é pra ti fazer segura
E ter a certeza que nada deixarei
A ti se achegar
E cheia de amor vou e cuidar.


Xiu anjo meu...
A noite chegou
Nas mãos vou te por
Pra te acalentar
E ver com amor
Devagar seu sono chegar
Lutando aberto à ficar...
No peito te ponho
E no balançar
Na face meu beijo
Eu deixo ficar
Pois já é noite 
E com ela no céu
Todo o estrelar
No brilho que enche
Pra teu sono guardar
E eu anjo meu,
Preste atenção
No silêncio sou vida
E a ti guardo
Seja noite ou dia
Dorme tranquilo meu anjo que é belo
Porque a teu lado
pra sempre estarei
Assim... só assim...
Xiuuuuuuu.... anjo meu



CULULU  -  Lúcia Helena Pazim  -  10/10/2010

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

" Café a boa fruta... "



O grão compõem a história
Que no tempo se espalha
E que as horas trazem até hoje
Faz o aroma perpetuar
O grão ao braço do negro 
Que compôs com sua força
O que hoje ao mundo inteiro
Ganha forma e valor...
O braço que se oferta
Para a beleza vermelha
Servir ao gosto de seu "Dono"
Com amor segue a colher
O negro que a história conta
Com as marcas em sua pele
Com seus cantos a batucar
Numa noite de alegria
Que se abre ao luar
A história que se compõem
Do ontem, hoje e amanhã
Vai ao mundo espalhando
Com vigor para ficar
Do tempo que faz história
Que ao longe se vai
Desde a travessia se compõem
Vem da África a força bruta
Mas que ganha toda a graça
Ao colher a doce fruta
Trouxeram consigo a garra
Que nós hoje fazemos canção
A flor branca a encantar
O grão vermelho feito o entardar
Quando o Sol da Terra se despede
Recebe em si o calor do braço forte
Que o  moinho faz girar
Muda cor
Muda textura
Renova todo o sabor
E se firma em uma só cor
Do negro escravo
Do escravo amor
Faz o negro grão
O grão negro ficar
E depois da boa fruta
Basta à nós saborear
Marca forte feito o gado
Que na pele diz quem é
É assim a flor mais rara
Que faz parte da história
A fina flor que se transforma
No eterno sabor de um bom café.


                CULULU - Lúcia Helena - 05/10/2010
                               Sala de aula do SENAC - Curso de barista
  1.                

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

" Um segredo... Um amor... "






Na fina folha que a minha frente há...
Ainda trêmula pego a caneta e lhe escrevo um poema...
Poema de amor para você que faz o querer de palavras se juntar
E assim formar o sentimento mais lindo
Que almas gêmeas podem trocar
É segredo, só existe pra nós
Pois o amor mais belo não se pode espalhar...
É segredo entre almas
Entre pele e corpo...
Entre querer e estar
Que fere à quem ao lado está
E faz de seu riso o mais doce alumiar
Sorriso largo, terno e encantador
Que enche o mundo com seu doce salivar
Sabor ardente, quente e envolvente
Que aquece a boca e o corpo se faz arrepiar 
É um segredo esse amor que é meu...
Basta um olhar, um tocar
E ele a tona se faz chegar
É amor gratuito, que nada espera
Mas quer tudo realizar
É em branco e negro...
Amarelo e vermelho
Ou de um azul céu abrasador
Ele é só teu... de  ninguém mais...
E comigo irá em todo o lugar
Não importa o tempo pois eterno...
Dentro pra sempre ele viverá
É amor criança, de mãos dadas a cirandar
É amor crescente que tem na mente feliz se formar
É amor grande que escreve a história que vai se tornar
É amor e é pra sempre
Feito água corrente que enche o corpo...
Feito sangue que nos dá à vida
É sombra de uma árvore em que se pode descansar
É calor do sol que a pele queima na intensidade desse amor que há
É uma estrela cadente que trás consigo o que há em nossa mente
E faz do sonho um doce acalentar e tudo vida ganhar...
O fogo ardente, calor quente e ardor de corpos a se amar
É um doce frio que na espinha faz até o ar faltar
E o calor da veia, à pele avermelhar
É grande como o céu de anil
E vibra feito um carrossel
É a bailarina a girar o mundo
No doce encanto de seu musicar
É laço de fita que enfeita a vida
E que garante que lindo tudo será
É amor crescente que faz a gente
Ter sempre à frente um doce olhar
É rocha viva que firme faz tudo a nossa volta se alegrar
É portal a frente e mostra pra gente o caminho aberto para se viver
É assim poema pra ti..
Poema pra mim...
Poema pra nós
E no final lindo a completar
Um poema de amor pra se espalhar...



                                                                 CULULU - Lúcia Helena - 2010/09/03

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

" Um Olhar... Meu Olhar... "







A madrugada chega e abro os olhos...
Vejo o brilho ainda encoberto
Através da janela de cada estrela que ainda se faz presente no céu...
O brilho, a intensidade e a nobreza
Luzes, formas e cores...
Sentada me vejo envolvida pela doce lembrança de toda uma infância.
O corre corre, o pega pega, o pique esconde
Bola de gude e de sabão, jogo de bafo
E na rua de chão batido uma pelada bem rolada....
Pipa no ar a colorir todo o céu...
E pés na enxurrada numa doce tarde
onde a chuva de verão molha todo o chão
Eis um olhar... Eis meu olhar
Calada, muda, quieta ora outra a vagar...
Palavras se juntam em um poemar
Nas flores primaveris que na sombra eu me assento
E espero vagando pelo entardecer
Na alegria de um enorme sorriso
No céu conto estrelas pros sonhos realizar
E logo me deito e o sonho ja vem
Um dia atrás de outro assim, num vai e vem
Na caixa de sonhos um eu ponho, outras vezes tiro
E assim mesmo sem querer eu deixo um outro sair a voar
Pelo céu velejar e o mundo a vida ganhar...
Assim é um olhar... Assim vejo meu olhar...
De menina sonhante
Vira viajante das palavras e versos
De menina mulher se torna a versante
Que sonha espalhar pelo mundo feito cores vibrantes
Um riso em versos...
Um canto em prosa
E na rima da história
O amor mais e mais espalhar...
É assim que sou
É assim um olhar...
É só sobre mim que eu vim te falar
O mais doce olhar...
Vem comigo também se deixar encantar
Pelo som do vento
Que nas brechas a frente
Indica onde quer que você vá
O caminho é de paz
De entrega ao amor
E assim se deixar 
Simplesmente levar
Pelo doce e encantador
Balançar... 
Que vai e que vem
E não prende em nada
Pois assim pelo brilho de um olhar...
Quer somente se deixar espalhar.



                         CULULU - Lúcia Helena -  2010/08/20 (00:51h)
                                                            Urupês-SP

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

" Um beijo... Teu beijo... "


 

É bom sê roubado
Porque tem mais sabor...
É melhor se pegado
Porque traz mais calor...
Beijo molhado...
Beijo suado...
Com gosto de algodão doce
Pode ser assim bem rapidinho
Ou que dure talvez
Por toda uma vida...
Um beijo pode ser de chocolate
Pode até ter sabor amargo
Pode vir com sonhos...
Recheados, os beijos podem ser
De um azul profundo
Rosa e até vermelho
O beijo pode ser assim... devagarim
Devagarim...
Que é pra melhor saborear...
Apressadim... 
Que é pra ninguém observar
E assim com inveja desse amor ficar
Tem que ser verde
Pra esperança desse beijo
Nunca ir pra outro lugar
Esse beijo tem que ter calor
E de outro lado, frio também pode ser
Gosto de queijo com marmelada
Ou só mesmo de goiabada...
O beijo tem que ter aroma
Como um prato que se completa
Tem que ter gosto forte
Feito café com creme...
Tem que ter pura beleza
Como a mais rara flor
Feito linda canção
O beijo tem que ter som...
Mas também na hora certa
Esse beijo nada dizer
Tem que existir somente
O silêncio do prazer...
Ele pode ser de cereja
Amora ou ameixa...
Pode vir na chuva branda
No frio e até mesmo no calor
Mas o beijo tem que ter
Feito uma linda canção
Várias notas todas postas
Mas um só melodiar
Real e verdadeira
Que encherá de amor
O mundo de quem dele
Em verdades se doar...
É assim que vejo o beijo...
Mas que um completo desejo
Um desejo que completa
O mais doce amor de que é feito...


CULULU - Lúcia Helena - Agosto/2010-13



quinta-feira, 12 de agosto de 2010

" Você em meu Eu "






Não sei como mas você consegue
Está sempre presente à meu lado, muda, quieta...
Assim as vezes sua presença é tão forte
Que causa-me frio na espinha,
Atiça meu libido
E novamente atormenta à minha alma
Tua lembrança é como o vento
Uma brisa de verão
Que alegra e descontraí...
Faz-me sentir bem
Mas lembra-me também que não posso pegar-te
Ter-te e nem sequer tocar-te...
Isto me angustia...
Pois a doce lembrança sua
Faz meu coração bater mais forte
E o desejo de ter-te comigo
Faz com que minha alma
Brigue com minha consciência
E aí me embriague como em um sonho mágico
Onde sua presença se torna real...
Onde consigo ver este sorriso lindo
Tão lindo que sinto vontade de roubá-lo
Sonho onde vejo estes olhos tão cheios de mistérios
Como o fundo do mar
Ou os grandes vales misteriosos...
Porém com um brilho tão intenso quanto o das estrelas
Que nos enche e nos envolve em desejos
Para uma grande aventura sem volta
Vejo sua boca que guarda tão secretamente seu sabor e desejos
E que me lembra uma criança quando sorri
Em sonhos sinto o calor de seu rosto em minhas mãos
E assim seguimos neste sonho
Numa perfeita harmonia universal
Quando esta entra em paradoxo
Aí minha alma explode de felicidade
Dos meus olhos lágrimas rolam e então...
Acordo...
Lembro-me que sonhos são apenas sonhos
E em nossa realidade não há nada tão virtual
Quero sentir sua respiração perto a mim
E assim poder te sentir aonde quer que eu vá
Quero sentir o pulsar de seu coração
E junto às horas do relógio que pulsa
Esperar o melhor momento de te amar
Você é a carne dentro de mim
Te sinto como que mais que parte
Em um todo que faz a vida caminhar
Teu corpo todo junto ao meu
Na partilha do desejo
Pois nós...
Nos completamos e nos precisamos
Sinto minha boca em ti...
Entro toda inteira em ti...
E faço todo seu ser gemer
Sinto nas mãos cada vão
Momento deste corpo teu
Partilho contigo o sabor do desejo
Descubro na pele que se oferece
A mim e a ti
O doce sabor de uma entrega total
Você em mim... tudo se completa
Eu em você... tudo se faz
A sensação que docemente enche alma e coração
Mas acima de tudo e de toda vontade
Lá no fundo apenas sentir
O desejo que aflora
Pois de tudo isso
O que mais desejamos
É no simples ensejo
De corpos remidos
Simplesmente ao amor poder se entregar


                                                       CULULU - Lúcia Helena - 2010/agosto/12

terça-feira, 10 de agosto de 2010

" EU TENHO UM HERÓI... "








" EU TENHO UM HERÓI... "


Quando me lembro das boas histórias que me são contadas
Eu posso vê-lo tenham certeza...
Ele é meramente lindo e encantador.
Tem os olhos azuis que me lembram o céu
Um olhar forte que remete certezas
Mas tem a mesma suavidade que transmite amor
Ele tem sem sombra de dúvidas o braço mais forte
Que eu já pude ver, pois no colo me carregou...
Mas também possui o mais terno abraço que eu já pude ganhar
Se você olhar para ele...
É o Homem maior que meu pequenino olhar já puderam ver
E te digo ele é forte...
É muito forte...
Quando estendo minhas mãos à ele
Me sinto segura pois ele as toma e cobre inteiras
E assim protegida estou.
Seus passos são decididos, sempre à frente...
Abrindo caminho, me mostrando onde posso chegar
Mas assim são pés que brincam de roda...
Pulam amarelinha pra eu aprender
Eu tenho um Herói...
Ele tem um lindo sorriso
Tem os olhos mais tímidos que os meus puderam ver
Ele também escreve histórias ...
E sabe contar como ninguém um conto qualquer...
Destes que envolvem a gente e nos fazem sonhar.
A noite meu grande Herói pra junto de mim
Vem ficar coladinho
Segura minha mão e canta suave uma doce canção
E depois da labuta do dia a dia
Adormece bem antes que eu
E eu posso vê-lo sorrir enquanto sonha na noite.
É assim esse meu Herói...
Está sempre a meu lado
Seja domingo ou feriado
Não me deixa não...
O seu brilho é tão intenso que até seu aroma 
E perfume de sua alma eu posso sentir
Eu...
Eu tive um amigo
Hoje ele partilha no Universo o seu encantar
Mas sei que de lá ele zela por mim
Eu tive um amigo, companheiro e irmão
Que sempre me disse que longe eu vou...
Hoje tenho somente um Herói
Ele é o maior
E o mais belo de todos
Eu tive um amigo
Hoje é um doce menino... 
Ele é meu Herói...




    Obrigada por ser você, HOMEM de bem como sempre foi
 o escolhido pra ser o meu pai. Beijos em sua alma de menino aí onde está
                         
                                    CULULU - Agosto de 2010 - Lúcia Helena

segunda-feira, 14 de junho de 2010

" Uma mulher... que simplesmente é... "


Mãe... Maria... Mulheres escolhidas...


Mães nossas de cada dia

Nem mesmo a imagem de um pássaro branco no azul do céu

Deslizando mansamente se compara a teu singelo olhar

Nem mesmo o maior dos poetas em prosa e verso consegue te retratar...

Nem o nascer do Sol, a brisa suave, o canto dos pássaros...

Tudo regido pelo tempo-maestro, matéria prima da vida

Se compara a teus sentimentos

Harmoniosos e sublimes...

Nem mesmo as gotas da chuva, o néctar das flores,

A beleza do arco íris, a Mãe natureza...

Se comparam à angelical música que tu Mãe, exprimes...

Nem mesmo as rimas mais belas, as palavras mais puras

Refletem o teu íntimo... à tua vida

Nem mesmo a singeleza das palavras que uso agora se comparam a ti Mãe

Pois não há nada comparável a tua gota de lágrima...

Não há nada comparável a teu sorriso,

E como dele, filho que sou tanto preciso

Sua beleza é tão grande

Que ouve o clamor do céu, da terra, do mar...

Que lhe cantam  seu louvor

Por tudo isso diria que mães são feitas de mel...

De leite...

E de céu...

São feitas de amor, de dor...

E da essência da flor...

São feitas de encanto, acalanto e...

Às vezes de pranto

Mães são feitas de anseios, devaneios...

De pródrigos seios

Possuem uma porção mental

Porção de sonho

Porção de cristal

Mães tem muito de feiticeiras

São adivinhas

São fadas brejeiras

São quase santas, meio anjos

Um pouco divinas...

E essa beleza imensa

Que nos guarda toda vida

Sem dúvida alguma assim se resume:

"Mãe minha... mãe nossa... Mãe mulher querida...

Mulher que é mãe...

Mãe que se fez mulher...

Simplesmente Mulher-Mãe que o mundo conduz.





CULULU - Lúcia Helena - 2010



Homenagem as mulheres-mãe-mulheres, que enchem de luz todo o universo - (texto escrito por volta do ano de 1985, estava assim bem guardado e agora quero partilhar)



terça-feira, 18 de maio de 2010

" POEMA PARA DOIS "






" O amor supera e define todas as dificuldades do caminho da vida "


A janela azul se abre
E assim perto ainda mais, posso te ter...
Te vejo brilhante e radiante
Vens como luz
Vens como amor
Vens em calor
Vens em desejo que a pele reclama
De sentir seu doce tocar
E o calor de corpos e suor a se misturar
Quando te sinto, sinto o mundo revirar
E revirado sinto teu corpo a me amar
Sutilmente num mágico som...
Sinto teu corpo a clamar
Assim todo pronto quando perto ao meu está
Ouço o som do desejo que de tua boca sai
Quando a pele sente a minha boca te tocar
Sem alarde algum sinto a boca que clama
Quando a tua, na minha boca perdida está
É poder ouvir uma doce canção de amor
Que na memória pra sempre te tras
Tão perto assim o faz,
Que até o aroma de teu corpo a alma faz penetrar
Que explode feito chama de um vulcão
Que cobre toda a Terra inteira
Com seu tom a avermelhar
E faz reviver tua tênue cor
Que a pele se arrepia só em pensar
Olhar voce é descobrir o silencio do mundo todo
Onde cada som se cala só para o teu
Ao meu ouvido chegar
Rasga as marcas do corpo
E adentra a alma que clama
Devagar sinto teu corpo arcar de desejo
E fechando-se em um doce beijo
Sinto o gozo que o corpo jorra
Fazendo a boca delirar de prazer
A espera de um completo amor fazer a ti chegar
E num delírio louco de corpos que se unem e se entregam
Te faço amor... me faço amar
E a cada instante nesse querer
Mais a pele de desejo arde
E a vontade de meu corpo a teu  se misturar
E pra sempre a mim te prender
Até ouvir seu doce gemer porque completa está...
E destes gemidos ardentes de corpos que se amam e se entregam
Não existe temor, somente o amor
Pois sabem se completar
Pois traduzem o mesmo vibrar de almas que se pertecem
Vou ao teu encontro porque és meu completar
Feito luz que colore o céu
Feito cheiro que envolve a Terra
Feito cores que a alegria trás
Um arco em cores que lembra um belo borboletar
De cintilantes brilhos de um vagalumear...
E assim um completar de almas neste belo poemar
Poema lindo...
De frases pequenas
De pequenas formas... Que é assim
Todo feito pra nós...

                   CULULU - Lúcia Helena - 18 de Maio de 2010

sexta-feira, 26 de março de 2010

" Um Sentimento Chamado Amor "



Falar de amor diria ser algo complexo...
Em qual tempo poderíamos usar pra conjugar este verbo que não tem limites?
Se o usarmos no passado de alguma forma se fará presente...
Se o usarmos no presente com toda a certeza e jeitinho
O futuro estaremos escrevendo...
E ir em busca dele no futuro
E o realizar cheio de sonhos e vontades, de desejos
E pleno de amor...
É porque no passado ele foi previsto em acontecer...
Aqui neste instante, ou alí em qualquer momento
Ou quem pode dizer que não...
Agora neste instante...
Ou daqui à pouquinho...
Mas já está escrito...
Já está pronto...
Já nos pertence...
É presença viva... constante
Faz a pele arder...
O coração acelerar...
O suor escorrer...
As mãos gelar...
O amor é só assim...
Não é conjugação
Nem tampouco divisão...
É constancia... é presença...
O amor é cumplicidade
E dele jamais em instante algum
Se cobra... porque é na simplicidade, doação...
É ao mesmo tempo perdição
Sentimento que confunde
E as vezes se difunde
Aumentando o desejo
Que nos faz ver cores mil
E cheiros que nos envolvem...
No amor não há só sentimentos
Dele vem a doação...
Não é puro sentimento...
É uma verdadeira ação...
O amor não é sentido... nem mesmo seta a indicar
Muito ao contrário...
Dele vem a falta de rumo
O prumo fora do ar...
A agulha perdida de uma bússola
E ao mesmo tempo
Os pés cravados ao chão
Feito raíz que não balança
Com todas as intempéries...
E que firme faz a história
Em um completo realizar...
É assim o meu olhar...
Pro sentimento chamado amor...


                           CULULU  -  Lúcia Helena - 26 de Março de 2010

sábado, 13 de março de 2010

" Vem, dá-me tua mão... "



O amor é o perfume das almas...
Que encanta e enche a vida
E compõem uma linda canção
É sonho que se realiza
Feito a mais bela composição
É um passeio ao lago
Em noite de luar
É o sentir na pele
Quando perto se está
E na alma o badalar
Suave do coração que chora
Quando hoje não pode te tocar
E a mão na mão a passear
Pelas ruas do desejo
De pra sempre poder estar
Na rua clara...
Ladeada de arvores amareladas
Suas flores enfeitando o caminho do amor
E eu simplesmente te digo:
- Vem meu grande amor
Vem comigo aproveitar
Pois o dia lindo está
Vem meu anjo amado
Que o céu em meu caminho
Colocou pra eu ter paz
Se quiser com um sorriso largo
Iremos pela Terra toda passear
Vem de mãos dadas se tu assim o quiser...
o nosso amor é mais que o acervo vivo
De todas as flores da Terra...
Um amarelo de malmequeres...
O branco ao vermelho a se misturar
Das grandes cerejeiras matinais
Vem carinhosamente tua mão na minha
Sob este lindo Sol que tudo procria e ilumina
Pois bendito ele o é...
Olhe avante e adiante
O dia claro se faz
Nenhuma nuvem no céu
Pois em todo o universo
Só teu brilho pode irradiar...
Vem... se tu quiseres
Se tão grande é o teu amor
Póem tua mão na minha
E o amor o universo
Feito o calor do Sol vamos juntos espalhar
Mas não demores...
Vem... se tu quiseres
Vem comigo passear...
Vamos ver as rosas todas
Que de beleza intensa enchem vales
Montanhas e vilarejos...
Pois são símbolos do amor
Vem... se tu quiseres
Dá-me tua mão
Que a ti dou meu coração
Pois a alma tua já é...
Vamos ver nas lindas flores
Que os olhos fazem encher
O encanto das abelhas douradas
Que se perdem pelos prados
Pra embelezar todo o lugar
Vem... não deixe o encanto se acabar
Eu te amo e tu também
Faz a história acontecer
Vem... dá-me tua mão
Vem comigo passear
Vem voar com as borboletas
E colorir todo o lugar...
Abre os braços anjo meu
E se deixe encantar
Por este amor que a ti dedico
Caminha comigo pelo brilho intenso
Dos trigais que a terra faz brilhar
Completo feito teu olhar
Que aquece toda a alma
E a paz ressoar
Vem... se tu quiseres
E se teu amor comigo pode estar...
Dá-me tua mão...
Vem passear...
Vamos nos misturar ao doce encanto
Das florescampestres e dos milharais
Entre um azul, banco ou amarelo
E descobre se puder contar
Se tua mão alcançar
Medir o meu amor por ti
Vem... vem comigo passear
Vem sentir assim de perto
Como eu te quero...
Vem... dá-me tua mão direita
Que na esquerda uma flor vou depositar
Só pra ver teu sorriso largo
O mundo inteiro encantar
Vem e sente como te quero...
E saiba com todo o jeitinho
Que a teu lado assim grudadinhos...
Pra sempre quero estar
Pois assim é que a vida
Se torna mais que boa.


                                               CULULU  -  Lúcia Helena  - 13 de Março de 2010 - cidade de Taubaté

sexta-feira, 5 de março de 2010

" Eu Te Amo... "




Eu te amo..

Na simplicidade de um olhar
Que possui a luz que guia

Na simplicidade de um sorriso
Que trás consigo todas as palavras

Na simplicidade de um beijo
Que traduz em seu calor
A quantidade de um amor
Que existe em seu ser...

Eu te amo...

Feito gotas de um orvalhar
Que surge pela manhã
Pra toda a Terra molhar.

Assim é o meu amor por ti...

Umedece o sentimento...
Enxarca toda a pele...
E faz o amor multiplicar

É só assim...
Na simplicidade

Eu te amo assim...

Te amo porque em seu caminhar
Encontro as trilhas onde os pés querem seguir
Porque em teus passos vejo a luz
Que na frente tem o dom e me conduz...

Te amo pelo encantamento
Que tua paz me trás
Na canção que se refaz
E a cada nota sempre de ti
Faz compor o desejar

É só assim...

Te amo por quem tu és
Pela docilidade de um olhar
Pelo afago de tuas mãos
Pelo encantar que brota
Vivo  dentro de teu coração

Simplesmente Te Amo...

Porque simples é o amor
E é onde posso te encontrar
Porque em ti sei que repouso
Sem medo do que virá.

Amo voce porque simplesmente
Éassim que quero estar
Perto parecendo longe...
Longe... Perto querendo estar... 

É só assim

Como o badalar de mil sinos
Como inúmeras são as estrelas
Como incontáveis são os grãos de areia
Que encanta à todos
em sua grandeza

Te Amo assim...

Simplesmente

Porque o ar que vem de ti é puro
Porque o som que tu emanas é claro
Porque tu... principia a verdade
Porque simplesmente é Amor...

Te amo porque és um ser
Porque reluz feito ouro de ofir
Simples porque és completa
Porque se completa na simplicidade

É só assim

Sem nada mais...
Simplesmente assim
Eu Te Amo...

                                                       CULULU  -  Lúcia Helena

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

" Feito Ébano e Márfim "





Negro à veste da vista que vai...
Ao longe... em busca de seu par...
Corre o mundo sem parar
Porque só... já não pode mais !!!

Se desnuda para encantar
E se entrelaça... de par a par
Prova sabores e gostos de vários amores
Sem nada encontrar

Gira o mundo... roda sem parar
Veste  mil faces para o amor achar
Mas volta-se e ... Todo nú estás
Em preces com mãos estendidas
Jura na volta do tempo...
Recomeçar

Cruza caminhos... faz-se brilhar
Valseando a canção que faz recordar
Não desiste dessa luta travar
E ainda em busca...
Crê... irá encontrar

Corpos jogados e entrelaçados
Em noite enluarada...
Que o dia logo trará
Agora completos... Num gozo total
Já sabem por sorte não mais se deixar

Mistura de cores... sabores... amores
As cores se juntam prá uma só formar
Completo presente que o amor refaz...
O Ébano ao Márfim irá se juntar...
E a canção então assim se fará...


                              CULULU  -  Lúcia Helena

sábado, 13 de fevereiro de 2010

" Um Ato ao Amor "



Teu corpo...
Ladeia o meu como ilha
Rodeia meu coração
Fecha-me todo
E assim vejo-me sem escapatória

Cela gostosa e ardente
Exalta o furor na gente...
Se posta fora
Nos quebra a corrente

Segundos sim...
Mas valem uma vida.
Um minúsculo instante de prisão
Em seguida a realidade...
E nos vemos presos a esta transação.

A matéria só do corpo
Graça não tem
Tem que chegar a envolver o coração
Se não for assim...
Nada tem valor nesta gostosa sensação.


                              CULULU  -  Lúcia Helena  -  Poesia publicada no Livro Poesias Brasileiras - Vol. 2
                                                                            Premio Ebrahim Ramadan- Editora Rio Pretense-2003
                                                                            p.-109

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

" R E V E L A Ç Ã O "



Arqueados os corpos
Eles se vão...
Assim como pétalas ao vento.
Ao norte, ao sul, talvez assim...
Sobrevoam o tempo, ou seja, ao tempo.
Entrelaçados... talvez sejam um.
Ou seriam dois que se encaixam no ar?
E eu vou, aonde não sei...
Vou em busca de algo, de nada...
Ou seria um talvez?
Quem sabe no vento a resposta eu ache,
Encaixe,
Me ajeite de vez....
O tempo se vai, no tempo me vou
Ao Leste, Sudeste, assim talvez...
Aonde haja luz, calor, teu amor...
Sim, assim onde possas estar
Vou estar ao teu lado
Ou em ti entrelaçado
Mas de corpos grudados
E nossa nudez como nunca
Será revelada...



             CULULU  -  Lúcia Helena  - poesia publicada no Livro Coletânea - Poesias Brasileiras - Editora Casa do Livro Editora( São José do Rioo Preto-SP) - ano 2001, pg 55

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

" 00:00h ... Um marco que vira a hora do amor "



A noite se finda...
E o dia já chega...
No ir e vir de um badalar
O relógio feliz canta as horas
Que fazem a alma vibrar
O corpo sonhar
E o coração fortemente pulsar
E eu
Simplesmente me preparo
Pra versos bem simples te falar
Dizer a voce feito pura canção
Que a Terra é feliz por ter voce
Rabisco frases que brotam na mente
Feito pequenas sementes
Que trás a lembrança
O que o amor nos faz partilhar....
A cerva gelada
O riso suave
Limão na pipoca à espera do sal
As mãos que se juntam
E grudam ao corpo
Passeiam sem pressa
Só pra o luar ficar a vislumbrar
Estrelas cadentes
Estrelas que trazem a mente
Que o brilho existente
É pra de ti eternamente lembrar
A pequenez da flor amarela
Tirada com amor pra te entregar
E no no meio de nós seu aroma espalhar
Cai na lembrança é só o dia chegar
Mistura as horas que findam a noite
Mistura o dia depois da virada
E na espera somente voce vem comigo ficar
Sorriso aberto e encantador
Feliz por sentir que existe o amor
É assim que amo... na simplicidade
De gestos pequenos
Mas que n' alma gravam
De falas miúdas
Mas que ao coração faz vibrar
Basta estar junto
Um olho no olho...
Um abraço forte
A mão que te tira arrepios da pele
E na timidez de um olhar que se cruza
O rubor na pele faz a cor mudar
À noite vem vindo... de novo  chegando
Coração acelera porque te terei
No marco que zera o corpo se entrega...
Dois corpos se prendem sem medo de amar
Feliz por saberem
Um ao outro se doarem
Voce na virada da noite se entrega feliz
Eu no começo de um novo dia... me vejo sorrir
E assim dia a dia o amor cresce mais
E eu puramente venho assim
Com versos bem simples
Feito uma canção que só
Quem ama consegue ouvir e entender
Mesmo que no silencio apenas a sintam
Que tudo na lembrança se eternizará
Mas nada no mundo irá apagar
O amor que já é um todo
O meu que é teu... Todo por inteiro
E o teu que está em mim... como alma a guiar
E é só assim com versos bem simples...
Palavras suaves
Que o mundo inteiro irá perceber
O tamanho do amor que por ti
Existe em mim...


                                 CULULU  - 2010  - Lúcia Helena

domingo, 31 de janeiro de 2010

" UM OLHAR "




Ele chega assim devagar


Brilho constante sem nunca cessar

Encanta o mundo em seu redor

Chega bem de mansinho cheio de calor.



Brota o broto que brilha no ar

É assim que seu brilho vem encantar

Tras no rosto a luz de um luar

Que encanta à todos em seu caminhar



Um olhar largo que nos faz sonhar

Querer todo o bem ao mundo doar

Livre e leve o doa sem nunca parar

Sorri assim que o bem,  consegue alcançar.



É claro....é limpo

E se mostra à todos

Nos lembra as cores de todo o universo

Se ri...mostra um brilho

Se chora...então todas as cores a se misturar





Á vista atento o olhar que cuida

Num brilho completo porque alcançou

Ela busca... e se doa

E no silêncio da noite vem repousar.



Mas sempre a espera de um novo dia

Pra junto do Sol trazer teu calor

E assim dia a dia fazer  da alegria

A festa do mundo num vasto olhar.



Um olhar que guia

Um olhar que guarda

Um olhar que chora

Um olhar que sonha



Mas no final das contas

Só faz como um todo

No mundo o amor

Inteiro espalhar.



                                           CULULU  - 2009 -  Lúcia Helena

" A COR DA PELE "









E foi assim que se fez num bel prazer

Ela quiz ao mundo se dar

Faceira...

Trigueira...

Menina de feira...

Sobe e desce a ladeira com seu balançar...

No rosto o sorriso que enche o lugar

É magia e encanto

Um doce acalanto

Nos lembra um conto

Que faz querer mais...

Menina mulher

Que o sonho reluz...

Menina que é luz em seu caminhar

Cresceu,  mas não tanto

Ainda que o mundo a faz desejar

Mulher que é menina

Que tem como sina

Uma vida tão linda buscar para si...

Mulher que é forte

Que pede pra sorte

Somente um amor poder encontrar

Mulher que é grande

Que tudo suporta

Mulher que é bela

Que espreita a janela

E empresta ao mundo

Um belo olhar...

Em ti vejo amor

A luz e calor

Que faz aquecer...

Menina mulher

Que espalha amor

Mulher que é menina

Que nos faz sonhador...

Olhar teu olhar

É como carisma

Que todos te buscam

Em seu  balançar...

As cores são todas

Que a ti pertencem

Do mundo são todas

A nos alegrar

Mas sempre encontramos

Em você menina

A cor de sua pele

A nos encantar

Que enche pra sempre

Em todo o lugar

Assim feito história

Que é pra nos ganhar.



                                            CULULU  - 2009  - Lúcia Helena

sábado, 30 de janeiro de 2010

" SAUDADES "




SAUDADE.."


Saudade do tempo que ao tempo nada levou...

Ficam as marcas de um grande amor...

Os sonhos se fazem acontecer..

E na espera o dia amanhecer...



Saudade

É mistura de dor..

Alegria e sabor!!!

É gosto que queima a boca da gente

É canto que encanta o seu balançar.



Saudade..

É o voo livre de um condor..

Que ao longe paira no azul do céu...

É o brilho do Sol que irradia..

E enche de luz o universo ao redor...



Saudade

É uma canção de amor...

Que toca no fundo do meu coração...

É vontade de ir querendo  ficar

É sentir assim em todo o lugar..

O querer desse amor fazer espalhar...



Saudade..

Chega a ser um cheiro gostoso...

Chega a dar água na boca...

A saudade é toda feito em pedaços...

Ma pode tambem vir por inteiro...



Saudade...

É tambem assim feito pequeno bixim...

Cabe na palma da minha mão

Mas quando aperta assim por demais

Tem logo que no coração guardar...



Saudade..

Ah! Não dá nem pra acreditar

Ela chega feito brisa

Sussurrando sem parar

Que assim qualquer dia

Vai-se embora

É só voce voltar!!!


Saudade...

É assim feito menininho

Que se deixa levar com carinho

Pela mão sem saber

Onde tudo vai dar....


                                                 CULULU  - Lúcia Helena

" Aonde quer que eu vá... "







Aonde quer que eu vá...

Vou te levar

Porque é contigo que quero ficar...

Suas marcas estão pelo corpo

Suas mãos estão na pele

O gosto de tua boca ao meu se mistura.

O corpo sangra de saudades

A alma clama de desejos...

Tua história na minha se junta

Minha história na tua refaz...

No silencio do dia, a vida anda...

No andar de uma vida...

O telefone toca

Eu te vejo...

Olhos voltados pra onde

Ainda não sei ao certo....

O gosto de sangue vem me trazer

A boca que sangra por não ter voce

Digo alô... E você não está...

Foi sonho talvez, ja não sei ao certo

Fecho os olhos e sinto teu cheiro em mim

E com medo em meu pensar

Forças não tenho

Pois não sei aonde estás!!!

Não quero acordar, o sonho é lindo...

E digo feliz foi só uma mordidinha!!!

O amor vem então

Uma nova história contar.

As mãos estão juntas

Se apertam porque existe o amor

A caminhar... seguimos o cheiro

Que esse amor nos faz encontrar

Te abraço e no abraço

Teu sorriso roubo

Te vejo feliz

E mesmo assim

Aonde quer que eu vou

Voce estará

Vem... vamos comigo...

Num sonho sem fim

Tua luz o meu caminhar

Indica onde quero estar...

Em mim só a certeza

De que na história escrevo

Que onde quer que eu vá...

Vou te levar

Porque é contigo

Que quero ficar!




                                     CULULU  -  Lúcia Helena  - 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

" Almas de Sim e de Não.... "





No canteiro da vida
O universo se enche de festa
Nasce mais uma vez flores lindas
Para o mundo encantar...
Com olhar carinhoso e sorriso brando
A mão acarícia a face rosada.
O Dia é brilhante...
A  noite estrelada se faz...
Assim vão crescendo
À linhas paralelas
Uma é Noite..
Outra é Dia...
Em uma o sonho reluz
Feito brilho de um olhar
Que feliz se realiza...
Ao outro se doar...
A outra é Noite..
Brilhante se faz
Caminhante segue em busca de si
Empresta seu brilho pro mundo encantar
Mas logo o guarda sem inteiro doar-se
No caminho crescendo se vão
Sorrisos nos lábios
Amor no coração
Na mente a busca
Na alma o perdão...!!!
 No gozo da vida a distância marca
Um olhar que certezas lhes dão pra seguir
Um a um seus passos ganhar
E no mundo seu brilho ao longe chegar...
As linhas se vão paralelas no ar
Três elas são em seu caminhar
Uma de Sim... Lembrando o dia
Outra de Não... que a noite se faz
A terceira somente caminha...
Como guia que é
Mas a história do mundo vai se transformar
Caminhos novos vão ter que cavar
Mas sempre será... lado a lado
Essa busca feliz fazer se chegar
Almas de " Sim " ao mundo se doam
Almas de " Não " o mundo revoam
Mas juntas o mundo ao fim só querem
A história da vida deixar ficar.


                           CULULU   - Lucia Helena

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

" Soneto de teu corpo..."





Os corpos se desnudam...


Vorazmente se procuram

Para que o desejo se consuma

Minhas mãos em voce te fazem enlouquecer

Te busco pra teu gosto sentir

A boca te cobre por inteiro

Suga seu louco desejo

Que a pele exala no ar

Que enche com cheiro de amor

Num sussurro que a voz faz o som ecoar

O arrepio da pele faz o corpo vibrar

Primeiro encontro...

Tudo me leva à voce

Te procuro...  na ânsia de fazer nossos desejos se satisfazerem

Te tenho aqui...

Como única e primeira vez...

Minhas mãos te envolvem

Meus lábios traduzem à ti o sabor do amor

Minha pele se mistura à sua

E os corpos ao sabor do querer, se deixam levar

Minha boca anseia ardentemente pela sua

Pra que o gosto se misture e, em nós...

Tanto mais o desejo se mostre

Eu busco cada vão minúsculo de tudo que é seu...

Sem pressa te deixo colada a mim

Enquanto no devaneio de uma linda canção

Te penetro fazendo teu corpo tremer

Sua voz a murmurar

E seu desejo a flor da pele saltar...

O som de teus suspiros chegam a mim

como a bela de todas as canções

E então se traduz na linguagem do amor

Onde nada mais sou

Se nele voce não está.

Os teus ais de prazer me enlouquecem

E assim num extase total embaladas pela mesma canção

Envolvidas pelo mesmo gemido de amor

Eu... te entro por inteiro

Enquanto na gula do desejo

Teus seios em minha boca se deixam ficar

Eu te tenho...

Voce me consome...

Rasga cada vão de mim que a ti pertencem...

Como se a muito, ja soubesse como se querer

Voce em minhas mãos extremece

Eu em voce enlouqueço

Já nos pertencemos, do amor já nos fizemos

A carne agora é quem fica com a dor

Eu por voce suspiro e me perco

Voce em mim... Se entrega ao doce toque do desejo

Te quero e espero

Me quer e faz a história acontecer

Voce é em mim mais que morada

Eu em voce sou teu doce desejo...

Que abala o ensejo`

Pra no final deste amor, de marcas total

Voce se completa, se entrega e ama...

E eu no acalanto de um corpo que clama...

Sou só o silencio que muito te ama...

Mas que simplesmente...



Silencia...


                        CULULU  - Lucia Helena

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

" Esse tal beijo seu... "




Esse tal beijo seu...
É caso que envolve
É sabor que enlouquece
É gosto que preenche
É fogo que floresce

Esse tal beijo seu...
Tem sabor que aquece
É luz que envaidece
Pra gente saber
Que perto sempre estará.

Esse tal beijo seu...
Faz a pele se arrepiar
O corpo tremer
E a boca sempre
Te querer mais.

Esse tal beijo seu...
Faz o sonho se achegar
O desejo completar
O amor realizar
E tudo em ti se enveredar.

Esse tal beijo seu...
Me faz sempre te querer mais
Ir em busca de ti
Te trazer para mim
E pra sempre te amar.

Esse tal beijo seu...
Faz a boca ir em busca de ti
Os olhos em ti ficar
Faz a língua provocar
E inteira te sugar.

Esse tal beijo seu...
Prende mão na mão
Como garras ardentes
Que cortam a carne
E não se deixa soltar.

Esse tal beijo seu...
Nos misura inteiras
Eu em ti... tu em mim...
Nos fazendo um só
Para o amor consumar.

Esse tal beijo seu...
Faz a carne somente ir
Em tua direção
Pra somente a ti
Querer se doar

Esse tal beijo seu...
Me envolve inteira
Me faz só a ti amar
Faz o corpo sangrar
De desejos por ti.

Esse tal beijo seu...
Envolve-me em ti
Faz as pernas se entrelaçarem
E o suor se misturar

Esse tal beijo seu...
É assim que me doma
Me põem em tuas mãos
Te faz me mastigar
Pra o amor completar.

Esse tal beijo seu...
Cobre o corpo de tesão
Faz o desejo aumentar
Põem teu gosto na boca
E todo o ser a ti se entregar.

Esse tal beijo seu...


                          CULULU  - Lucia Helena

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

" Coisinhas Àtoa "



Bolinhas de sabão...
Rodar bem o peão...
E futebol de botão...

Correr pela rua...
Observar a lua...
E não andar nua..

Pão de queijo...
Um doce beijo...
O som de um realejo...

Jogar fora prosa...
Apanhar uma rosa...
Fazer brincadeira gostosa...

Sair pela janela...
Bater tampa e panela...
E descer pela ruela...

Ver a aurora...
Sair lá fora...
Prá depois ir embora...

É só assim...
Coisinhas àtoa...
                               
                             CULULU  -  Lucia Helena